BIGtheme.net http://bigtheme.net/ecommerce/opencart OpenCart Templates
Home / Sem categoria / A hora de tomar “A” decisão

A hora de tomar “A” decisão

Antes de iniciar o texto, gostaria de citar o Catecismo na sua descrição sobre a virtude da prudência: “A prudência é a virtude que dispõe a razão prática para discernir, em qualquer circunstância, o nosso verdadeiro bem e para escolher os justos meios de o atingir”[1].

Por que começar com essa citação? Porque, na sequência de textos em que seguiremos, também refletindo sobre a posição da juventude no meio acadêmico e no mercado de trabalho, algumas virtudes são necessárias para garantir que estamos rumando no caminho
certo e até mesmo para garantir que estamos caminhando, já que infelizmente muitos se encontram parados sem saber para onde ir.

Bem, acho que os textos ficam mais fáceis quando têm uma história (ou estória, ainda que essa palavra tenha saído de uso) envolvida, para exemplificar os temas tratados. Não dispondo de muitas estórias e querendo que o leitor se identifique com o texto, utilizarei minha vida para tentar exemplificar alguns pontos que julgo importantes nessas reflexões.

Desde que me entendo por gente sou um cara muito ansioso, meus amigos mais próximos, familiares e minha namorada podem contar como isso se evidencia na minha vida. Sempre penso no futuro, desejo ter objetivos de vida claros e traçar metas para em alguns anos vê-los sendo atingidas e chego a me contorcer na cadeira ao perceber que o futuro é uma “coisa” incerta!

Posso afirmar sem dúvida que minha kriptonita é a necessidade de decidir, oriunda da liberdade recebida pelo homem no momento da criação. Quem é mais próximo de mim sabe que brinco dizendo que esse negócio de liberdade não foi uma boa ideia, que seria mais fácil se já viéssemos com um roteiro obrigatório, que garantiria que estaríamos indo para o caminho certo (claro que isso é só uma brincadeira, já que perderíamos os dons mais importantes que também vieram com a liberdade).

A primeira grande decisão na minha vida, pelo menos que posso lembrar, foi por volta dos meus 14/15 anos (estava indo para o Segundo Ano do Ensino Médio), quando decidi fazer preparatório para estudar na Escola Preparatória de Cadetes do Ar. Lembro que na época isso foi um passo muito difícil, abrir mão da comodidade da minha casa de Petrópolis, da proximidade com meus amigos e familiares, entre outras coisas.

Após essa decisão viriam outras muito mais importantes, entretanto, gostaria de destacar o quão difícil é para mim e para você tomarmos decisões que nos levarão a um futuro incerto. Naquele momento, nos meus 14/15 anos eu tive que decidir algo e o medo de errar ou de perder tudo que tinha conquistado até aquele momento era muito grande. Diante de uma situação assim, o que deveria fazer? Deveria decidir! Decidir da melhor maneira possível, é claro! Lembrando que qualquer decisão que fosse traria consequências!

Lembro que no ano seguinte eu resolvi fazer o preparatório para o exame da EPCAR e comecei a estudar todos os dias das 7h da manhã até às 7h da noite, quanto mais tempo me dedicava a estudar, mais estava arriscando por um futuro incerto. Naquele ano, eu prestei a prova da EPCAR para o 3º Ano do ensino médio, eram 30 vagas no Brasil e eu fiquei entre os 110 primeiros colocados e fui convocado para o exame médico, se eu passasse nele estava dentro… O final da história é que não passei no exame médico por ter discromatopsia parcial (Não sabem o que é? Nem eu sabia! Uma espécie de daltonismo) e diante de tanto esforço veio uma frustração! Ou melhor, será que veio mesmo uma frustração?

Claro que não foi uma frustração! Ainda que não consigamos ver no momento, muitas coisas acontecem para que possamos aprender e tomar decisões melhores. Saber analisar a situação da melhor maneira possível, aprender a pedir conselho e até a TOMAR DECISÃO! Lembrando que a prudência, virtude que destacávamos no início desse texto, não consiste em analisar eternamente o que se deve fazer, mas implica em AGIR!

Muitos leitores já passaram pela fase de decidir o que farão na faculdade, outros estão passando por momentos de tensão ao longo do curso, duvidando se fizeram a escolha correta… Alguns estão decidindo onde trabalharão, outros qual tema de Mestrado irão escolher… Ainda que em situações diversas, é preciso ter claro que a decisão depende de nós; certamente devemos pedir a ajuda de Deus, mas devemos parar de jogar a decisão nas mãos Dele ou de algum poder extraordinário que nos iluminará durante um sonho e resolverá todos nossos problemas! O que hoje você precisa decidir? O que hoje tem estagnado sua vida, sua carreira? Seja o que for, o momento de mudar o futuro é o agora!

Peça conselhos, pense longe (1 ano, 5 anos, 10 anos.. onde você gostaria de estar daqui a tanto tempo?), estude a situação e….. DECIDA! Perceba que a pior ação em alguns casos é a não ação.

Ainda que tenha me dado mal no exame médico da EPCAR, aquela experiência mostrou para mim que eu tinha capacidade de estudar e me dedicar para passar em uma prova difícil. Hoje estou concluindo o curso de Engenharia de Produção na UFRJ, trabalho em uma empresa de consultoria em Engenharia de Gestão (Visagio) e muitas outras oportunidades apareceram nesses anos, mas acho que essas histórias ficarão para outros textos…

 

Jonathan Penha de Almeida
Estudante de engenharia de produção – UFRJ – Oficina de Valores

 

_______________________________________________________________________________

[1] Catecismo da Igreja Católica, ponto 1806. Disponível em:
http://www.vatican.va/archive/cathechism_po/index_new/p3s1cap1_1699-1876_po.html#ARTIGO_7_

 

Sobre Oficina de Valores

Veja Também

Oficina Entrevista: Comunidade Jesus Menino na JMJ

A Comunidade Jesus Menino foi escolhida para representar o continente americano na Jornada Mundial da Juventude ...

3 Comentários

  1. Salve Jonathan,

    Achei bem bacana.

    As vezes a pior ação é a inação…

  2. Ótimo texto Jonathan!

    Me identifiquei bastante com o assunto, pois estou cursando o 3° ano e tive que escolher qual profissão seguir. E por coincidência quero fazer engenharia de produção também, e na UFRJ, esse é o meu sonho, estudo muito pra conseguir.
    Mas a pior parte é saber se essa é a escolha certa ou não, não em relação a profissão, mas em relação a sair de Petrópolis, ficar longe dos meus pais, amigos, de tudo!
    Pra mim essa continua sendo uma decisão bem difícil..

    É só isso, gostei muito do texto, me identifiquei e quis partilhar um pouco sobre.

    Grande abraço(:

  3. Jonathan Almeida

    Legal Karen, se quiser podemos conversar sobre a carreira… só marcar no facebook.
    Fico feliz que você tenha gostado do texto..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *