BIGtheme.net http://bigtheme.net/ecommerce/opencart OpenCart Templates
Home / Formação Humana / Por que ter esperança no amor?

Por que ter esperança no amor?

Sejamos honestos, relacionamentos estão cada vez mais complicados. Começam e terminam numa rapidez tamanha que na maioria das vezes nem conseguimos acompanhar. Isso sem falar que há algumas décadas surgiu o advento dos relacionamentos que nem sequer começam: relações informais ou abertas que dispensam o compromisso simplesmente porque o consideram um fardo inútil. Vivemos na cultura da popular pegação ou curtição em oposição aos já obsoletos relacionamentos duradouros.

Quem nunca ouviu a provocação: “casar para quê?” ou “sério que você ainda acredita no casamento?” Não seria exagero dizer que acreditar no amor verdadeiro hoje se assemelhe a crer no papai noel ou em coelhinho da páscoa, ou qualquer outro mito que se possa pensar. Será o casamento um novo mito?

Eu tenho 28 anos, sou filho dessa cultura. Criado em um bairro simples, aprendi dentro de uma cultura machista que a fidelidade masculina não consiste em ter apenas uma namorada/esposa, mas em ter várias e priorizar uma. Soa absurdo? Concordo, mas cresci com a difusão dessa ideia em meu convívio como algo normal e na adolescência a vi sendo assimilada e incorporada também pelas mulheres. No auge dos meus 14 anos eu tinha a certeza de que ninguém era de ninguém e que o amor estava extinto das relações. Sim, meus amigos… O amor está em extinção!

No entanto, o tempo foi passando, fui vivendo experiências humanas no campo da espiritualidade e da formação que me levaram aos 17 anos me decidir por acreditar no amor. De lá pra cá, tive dois relacionamentos que acabaram não indo adiante, mas me ajudaram muito no processo de crescimento pessoal e creio eu, que de alguma forma, também pude contribuir para o delas. Não creio que deram errado porque vejo o namoro como uma pergunta: será essa a pessoa com a qual quero passar o resto da minha vida? A resposta pode ser sim ou não e independente de qual seja, se o discernimento for bem feito e as pessoas saírem do relacionamento melhores do que entraram, ele deu certo. Creio que tive dois relacionamentos que deram certo, mas a resposta ao discernimento foi “não”.

Até que no dia 12/06/2013 eu comecei o maior relacionamento da minha vida, uma relação sem fim. Já tinha clareza do que buscava e do que não aceitava num namoro, tendo por base as minhas experiências anteriores. Naquele momento eu já tinha uma maior clareza sobre quem eu era e o que precisava trabalhar em mim para dar certo com alguém. Conheci a Tainara e juntos fomos pacientemente trabalhando neste processo de aprendermos a nos amar. Que caminho bonito fizemos. Foram 5 anos e 5 meses, período no qual houve muito diálogo, dúvidas, discordâncias, adaptações, distância, proximidade, dificuldades, dor, carência, choro, riso, mas acima de tudo uma experiência forte e decidida de amor que permeou cada parte desse processo. O amor é muito mais que um sentimento, é uma decisão, uma decisão pela outra pessoa, uma decisão por fazer dar certo, uma decisão por crescer, uma decisão por acreditar. Decidimo-nos um pelo outro!

No dia 23 de Janeiro de 2017 essa decisão foi concretizada num pedido de casamento. Tudo como manda o figurino: surpresa preparada, apenas os pais delas e os meus informados do que aconteceria. Vários amigos foram convidados para a ocasião, mas para nenhum deles a surpresa das surpresas foi revelada: aquele seria o dia de nosso noivado. Um ambiente preparado, um bom caça ao tesouro montado, a conclusão da história não poderia ser diferente, ajoelhado e com um buquê de flores nas mãos eu disse as palavras mágicas que sempre sonhei dizer: “entre todas as mulheres do mundo eu escolhi você!” Tainara com seu sorriso fácil me fitava como quem já soubesse a resposta: “seu bobo, você não conhece todas as mulheres do mundo!” Esperto que sou, já tinha a resposta na ponta da língua: “A partir do momento em que te conheci eu parei de procurar”. Eu parei, não tenho mais porquê procurar, porque me achei na Tainara! Ela é o chamado principal da minha vida e reconhecer isso foi essencial para o meu amadurecimento. A-M-A-D-U-R-E-C-I-M-E-N-T-O, palavra que amedronta, com meus 26 anos eu não me via pronto para dar este passo, não mesmo, mas sentia que era esse o passo que faria a minha perna crescer. Por amor, me decidi!

Foram 1 ano e 10 meses de noivado, muita correria, muito trabalho, muita gente se envolvendo, muitos gastos, vimos o amor tomando forma, vimos o quanto as pessoas querem acreditar no amor e vimos o quanto Deus é providente. Nesse período tive medo, tive dúvidas, tive receio, mas acima de tudo acreditei. Chegamos ao altar no inesquecível 17 de Novembro de 2018. Meus amigos, QUE DIA! Tudo fez sentido naquela data, nossa história passava diante de nós como num filme e eu só conseguia pensar como valeu a pena. Hoje temos 5 anos e 9 meses de namoro, 3 meses de casado e não tenho dúvidas que a maior decisão que tomei na minha vida foi aos 17 anos de idade: decidir acreditar no amor. Nascemos para amar e sermos amados, negar essa dimensão essencial da nossa existência significa boicotarmos a nós mesmos, significa vivermos abaixo do que somos. É frustrante não crer no amor, crer é exigente, doloroso, por vezes machuca mesmo, mas realiza.

Não há nada mais gratificante do que construir uma história a dois, fazer planos juntos, dividirmos nossas histórias, nossas perspectivas, nossos sonhos. Cuidar um do outro, formar família, amar. Por que ter esperança no amor? Porque só assim podemos ter esperança em nós mesmos. Se eu perco a esperança no amor, eu perco a esperança em tudo que sou. Não há nada mais desolador do que uma vida sem amor, quantas e quantas pessoas vivem num “walking dead” real, não é verdade? Vagando por aí sem rumo, sem perspectiva, sugando as migalhas uns dos outros e balbuciando algumas coisas sem sentido. Somente quem acredita no amor experimenta a potência máxima que há no coração e na alma humana, a potência criadora e transformadora que temos todos nós: o nosso amor cria, procria, produz laços. O nosso amor transforma, encanta, toca, arrasta. O nosso amor é o que somos, viemos do Amor e inquieto estará o nosso coração enquanto não retornar para Ele. Há quem possa dizer: “mas você só tem 5 meses de casado”. Responderei com tranquilidade: exatamente, já foi tempo suficiente para eu perceber o quanto foi extraordinário até aqui, mas não tenho dúvidas de que o melhor ainda está por vir!

Sobre Rodrigo Moco

Veja Também

Confissões de um recém-pai 2

Dizem que a paternidade/maternidade faz com que sejamos pessoas melhores. Não sei dizer se me ...

3 Comentários

  1. RENATA GODINHO

    Que coisa linda, que texto lindo. Amei

  2. Lucas Rodrigues

    Texto incrível!!! Um conto bem maneiro sobre algo real.

  3. Sonia Nascimento

    Excelente o texto “Por que ter esperança no Amor?” !
    Parabéns!!! Somente o amor é capaz de captar o outro ser humano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *