BIGtheme.net http://bigtheme.net/ecommerce/opencart OpenCart Templates
Home / Cristianismo / Testemunho vocacional – Padre Carlinhos

Testemunho vocacional – Padre Carlinhos

Posso afirmar, sem hesitar, que aos sete anos de idade descobri minha vocação para a vida religiosa! Como gosto sempre de deixar claro, eu era apenas uma criança com sonhos, descobrindo a minha vocação, embora já tivesse convicção e firmeza do meu caminho. Durante o período da minha catequese e, em especial, no dia da primeira comunhão, com 8 anos de idade (em 1982), a certeza desse chamado se fez maior, porque ali senti que havia sido o dia mais feliz da minha vida!

Esse chamado tão precoce foi o sustento para toda minha vida vocacional. Aos 14 anos, entrei no seminário. Era um adolescente descobrindo a vida! Só fui sair do seminário aos 26 anos, um jovem, caminhando para idade adulta. Durante esse tempo de formação, o ideal vocacional foi se adaptando às circunstâncias da minha idade e confesso que nunca senti dúvida se realmente queria ou não ser padre. Tal convicção, por outro lado, não foi sempre positiva, pois ao ver meus colegas tendo dúvidas e crises vocacionais, ficava em crise justamente por não ter essa dúvida que os demais possuíam! A todo momento, o que sempre me sustentou foi a confiança no discernimento da Igreja e na pessoa de meus formadores. Também destaco a formação recebida na paróquia que foi tão importante quanto à formação recebida no seminário.

Hoje, lá se vão vinte e um anos que me ordenei sacerdote e a vocação foi se firmando e amadurecendo cada vez mais! Passei por várias paróquias, atuei em diversas pastorais, vivi e ainda vivo com intensidade o ambiente universitário e passei por mais duas faculdades. Com base nessa bagagem que tenho vejo, hoje, como sacerdote, que para evangelizar, não se deve ter medo do diferente, pelo contrário, é preciso dar importância ao diálogo e, acima de tudo, ter a identidade cristã católica bem firme.

Aos rapazes e moças que pretendem empreender um caminho vocacional em um seminário ou convento, eu aconselho estarem sempre abertos à formação. Deixem-se moldar! Não que devam perder a identidade pessoal, familiar e cultural, mas que se abram ao Novo e confiem na Providência Divina. Acima de tudo, tenham uma sólida vida espiritual, porque ela é a base de toda Consagração!

A Virgem Mãe dos Vocacionados proteja a todos e que Deus nos abençoe!

Sobre Oficina de Valores

Veja Também

Doze Homens e um Grande Segredo

“Naqueles dias, Jesus foi à montanha para orar. Passou a noite toda em oração a ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *